Origem da grande fraternidade universal branca

“Rezam as tradições do mundo espiritual que na direção de todos os fenômenos do nosso Sistema, existe uma comunidade de espíritos puros e eleitos pelo Senhor Supremo do Universo em cujas mãos se conservam as rédeas diretoras da vida de todas as coletividades planetárias”

A Fraternidade Branca pode ser definida como uma grande unidade de consciências luminosas e inteligentes formada por um conjunto de múltiplas unidades energéticas luminosas. Estas unidades-hierárquicas, por sua vez, estão inseridas em outras unidades maiores, assim como dentro de cada uma delas existem unidades menores. Todas possuem suas próprias tarefas e missões, visando implementar objetivos e desenvolver princípios na humanidade.

O fio condutor que as une, por assim dizer, é a Luz do Amor Universal em freqüências cósmicas divinas. Cada uma das unidades hierárquicas está em perfeita união e sintonia com a Luz Criadora Universal. A hierarquia segue um sistema piramidal, onde os mais evoluídos se encontram nos níveis mais elevados. Como todos existem dentro de uma unidade luminosa de consciências, estabelecem um sistema piramidal planetário que, por sua vez, situa-se dentro de outro sistema maior, que é a Hierarquia Solar, e assim sucessivamente. Aqueles que estão em um patamar superior tanto servem aos que estão no mesmo nível como aos que estão acima e abaixo, visto que todos formam diversos sistemas piramidais. Por isso, fala-se tanto em hierarquia.

A Grande Fraternidade Branca é integrada pela Corte Celestial (Logos, Elohim, Manus, Chohans, Mestres Ascensionados, Arcanjos, Serafins, Querubins, Devas, Anjos, Elementais, que são os Auxiliares e Mensageiros Cósmicos de Deus), que forma uma Hierarquia de Iluminados atuantes na evolução dos seres vivos da Terra. A Hierarquia dos Iluminados é o Governo Oculto do Mundo, que existe a nível celestial e prevalece sobre tudo o que ocorre na Terra, desde a criação, a sustentação e todas as transformações, para que se cumpra o Plano Divino. Muitos destes Iluminados participam também de outras Hierarquias Superiores e de Conselhos Superiores de Iluminados, até de outras galáxias.

Desde a sua criação a Terra passou pela solidificação, pela formação da ionosfera, estratosfera, pelas primeiras formas celulares, até chegar nas primeiras formas primitivas humanas físicas. Neste período, há dezoito milhões de anos atrás, de primeiras formas humanas físicas, o Planeta serviu de berço para a encarnação de diversos seres do cosmos (livros: “A Caminho da Luz”, “Exilados de Capela”). Porém, há um intervalo de tempo quase infinito e desconhecido na história da Terra. Foi o período – 500.000 anos atrás – em que há registros da presença de Extraterrestres, Interplanetários bons e maus, em várias partes do Globo. Neste período inicial, houve a encarnação da 1ª raça raiz e 2ª raça raiz, tão bem conhecidas da teosofia e de outros estudos ocultistas, e que não eram propriamente raças físicas, completamente materializadas. Isto só se deu na 3ª raça raiz Lemuriana. (Aqui vamos deixar os milênios se passarem e nos adiantar no tempo).
Com a encarnação de espíritos extraterrestres, principalmente os de Capela, a Terra seguia seu destino cósmico e os homens sobre o planeta viviam sob o reinado do terror, dominação e violência. Houve a “queda do homem” devido a vários motivos. Houve o rebaixamento da freqüência vibratória dos átomos da constituição humana e, conseqüentemente, o rebaixamento do nível de consciência. Com a queda, perdeu-se a consciência da Unidade e conheceu-se o sofrimento pela primeira vez neste mundo. O homem entrou em decadência e ficou parecido com o denominado “homem das cavernas”. A Terra tornou-se nublada, cada vez mais escura, até não possuir Luz suficiente para manter-se em órbita, sendo um peso muito intenso a ser mantido pelos Astros do Sistema Solar e da Galáxia. Quando este clímax atingiu os pontos de saturação vibratória máxima – que é conhecido nos códigos estelares com o código 666 – abalando o equilíbrio dos planetas próximos, os Diretores Estelares decidiram intervir. Os Hierarcas, reunidos nos Conselhos Superiores condenaram-na e a Seus habitantes.

Sanat Kumara, Logus Planetário, Regente do Planeta Vênus, chamado na Bíblia “O Ancião dos Dias”, que já possuía experiência na recuperação de outros mundos, apresentou-se como voluntário para recuperar o Planeta e a torná-lo viável para a evolução humana.

Toda a humanidade deve ser grata a este Grande Iluminado, que por sua atitude altruística será sempre abençoado. Ele então deixou seu lar e seu Complemento Divino, a muito amada Vênus, para partir para a Terra.

Depois que Sanat Kumara assumiu o compromisso de vir para a Terra, e aqui permanecer até que um único ser humano se iluminasse,144.000 almas extraterrestres de Vênus, ofereceram-se para vir com ele e apoiar sua missão
Foi então iniciada a construção de Shamballa, a cidade de onde o Grande Regente deveria dirigir a Terra, numa ilha do mar de Gobi. Sua construção durou 900 anos.
“Quando a HORA CELESTE soou, o gigantesco mecanismo pôs-se em movimento. As estrelas indicaram a partida dos Deuses e dos Senhores da Chama e de acordo com a Lei, constituíram uma ESFERA DE FOGO de irradiação incalculável e lançaram-se celeremente à grande aventura cósmica que se iniciava (em Vênus) nas mais elevadas alturas do Sistema e devia culminar naquele pequeno lugar da Terra, uma ilha do Mar Gobi (hoje deserto de Gobi), a oeste da Ásia, que posteriormente foi denominada “Ilha Branca”, pelo fato de a cidade ter sido construída com muito mármore branco, jóias preciosas e ouro.
“À medida que a esfera de fogo ia se deslocando pelo espaço em direção à Terra em velocidades incríveis, atravessando rondas e cadeias de mundos dentro do hemisfério solar, os esplendentes Senhores da Chama iam despojando-se de Seus atributos Venuzianos e assimilando e adquirindo os que correspondiam ao Planeta Terra.”

Iniciou-se uma grande História…

Sanat Kumara, tomou posse como Senhor do Mundo e, inicialmente, com a sua própria Luz, sustentou o Planeta. Com sua Sabedoria preparou Iluminados para a recuperação da Terra. Ele formou, há 16 milhões de anos, uma Irmandade de Iluminados com o nome de Grande Fraternidade Branca (a cor branca é a síntese de todas as cores e, usada no sentido filosófico, representa o ideal de aceitação e união de todos os povos para trabalhar pela causa evolutiva planetária).

Ao chegar em Shamballa, Sanat Kumara invocou a Chama Trina (Azul, Dourada e Rosa), que representa Poder, Sabedoria e Amor, a ação vibratória do Planeta Vênus, que nunca havia sido invocada antes na Terra, e que então foi impressa no coração de cada ser humano vivente na Terra. Foi o primeiro passo para a salvação da humanidade. As flores, as árvores e o Elementais ganharam novo ânimo e no coração do homem brilhou uma nova esperança. A Terra voltou a brilhar.

Shamballa é o maior FOCO DE LUZ que mantém o equilíbrio energético, tanto para receber quanto para distribuir ao Planeta: recebe energia de centros energéticos Solares e extra-solares, como de Vênus, do grande Sol Central, da Constelação de Ursa Maior e de outros Centros Cósmicos; é o centro de irradiação da vida planetária, focalizando Vontade, Sabedoria e Amor, que guiam a humanidade para a Ascensão. Atualmente Shamballa encontra-se no Plano Etérico, com as mesmas características que possuía no plano material, porém mais sutil e mais iluminada.
Oração de Shamballa.

“Tu que me chamaste para o caminho do trabalho, aceita minha habilidade e meu desejo. Aceita meu labor, ó Senhor, pois Tu me vês de dia e de noite. Dá-me Tua mão, Ó Senhor, pois a escuridão é grande. Eu sigo a Ti”

SANAT KUMARA

O Iluminado, que há séculos mantém, com a força e o poder da concentração, Seu Santuário da Chama Dourada da Sabedoria e do Fogo Violeta da Transmutação, situado no plano etérico, sobre o Monte Fujiama, Japão.

Seu trabalho e de Sua fraternidade resume-se, principalmente, em transmutar a todo o momento as criações e manifestações nocivas executadas ou apresentadas pelo ser humano, quer sejam propositais ou inconscientes.

“Quando a HORA CELESTE soou, o gigantesco mecanismo pôs-se em movimento. As estrelas indicaram a partida dos Deuses e dos Senhores da Chama e de acordo com a Lei, constituíram uma ESFERA DE FOGO de irradiação incalculável e lançaram-se celeremente `a grande aventura cósmica que se iniciava (em Vênus) na mais elevadas alturas do Sistema e devia culminar naquele pequeno lugar da Terra, que era a ILHA BRANCA, sobre o mar de Gobi.

“À medida que a esfera de fogo ia deslocando-se pelo espaço em direção à Terra em velocidades incríveis, atravessando rondas e cadeias de mundos dentro do hemisfério solar, os esplendentes Senhores da Chama iam despojando-se de Seus atributos Venuzianos e assimilando e adquirindo os que correspondiam ao Planeta Terra.”

A época de sua chegada ao Planeta Terra, corresponde ao período da raça Lemuriana ou terceira raça-raiz, há dezesseis milhões de anos a.C.

Quatrocentos kumaras que formaram a vanguarda, construíram o magnífico retiro de Shamballa num trabalho que foi chamado de “Projeto Vida”. na ilha de Gobi – hoje deserto de Gobi.

Na sua construção, que levou quase 900 anos, os “Kumaras” e os companheiros de outras estrelas, reencarnavam sonhando com a cidade perdida, indo em busca dela, em cada reencarnação, construindo-a, e na maioria das vezes sendo mortos pelos seres primitivos.

O retiro de Shamballa estava no universo material mas era de natureza etérica, sutil. Quando ocorreu sua transferência para os reinos mais etéricos, invisíveis, Sanat Kumara, encarnou como Dimpankara, o primeiro de outras vinte e quatro reencarnações, num longo esforço de trazer luz à humanidade primitiva. Em 1954, SANAT KUMARA, Melchizedeque, passa o comando como Rei do Mundo a Gautama que deixa a Terra, indo para Vênus.

Do esforço destes seres, uma nova humanidade surgiu ao longo dos milênios, até a iluminação de Gautama Buda, que a partir de 1956, é o substituto principal do Projeto Vida Sanat Kumara, pois é o Ser mais elevado na sua Consciência Divinizada desenvolvida na Terra. Por esta razão, todas as civilizações do vosso planeta, desde essa data, a de Sanat Kumara, passaram por momentos muito delicados e grandiosos também. Desde aí já são cerca de 8 civilizações que conseguiram a sua ascensão estelar e espiritual alem de 5D.

A vida no vosso planeta, passa a contar a partir de 3,2 bilhões de anos, e desde então, já se contabiliza na TERRA 21 civilizações que manifestaram a sua evolução em diferentes dimensões realidades de energia, sendo que, cada uma teve o seu tempo relativo para evoluir e deixar o seu registro no universo.

Muitas dessas civilizações, são hoje visitantes do tempo, e colonizaram sistemas estelares fora do quadrante do vosso sistema solar, como o caso de 3 delegações da constelação de Plêiades, no setor sul dessa constelação.

Fonte:http://www.curaeascensao.com.br

EM BREVE MAIS INFORMAÇÕES ACERCA DA GRANDE FRATERNIDADE BRANCA UNIVERSAL , SEUS SETE RAIOS E SEUS MESTRES!

Anúncios

2 comentários em “Origem da grande fraternidade universal branca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s