Reflexões da senda espiritual

Hoje eu comecei a refletir um pouco sobre minha caminhada espiritual e considero interessante repassar algumas reflexões que tive. Ao buscar em religiões das mais diversas crenças, ritualísticas e dogmas diferentes, nunca encontrei nada que me preenchesse por completo ou me sentisse contemplado inteiramente pelos ensinamentos. Estudei e frequentei lugares dos mais diversos possíveis. Estudei espiritismo kardecista, ocultismo, santo daime, umbanda, reiki, cristianismo, protestantismo, ouvi gurus, mestres e professores espirituais das mais diversas áreas, busquei na física quântica, fiz desenvolvimento mediúnico, me comuniquei com guias espirituais e ainda assim me faltava algo nesta busca e quando o contato com meus mentores se fez eu sempre pedia que me guiassem num caminho que eu pudesse comtenplar o verdadeiro “religare” com a fonte.

Eu não conseguia me vincular a nenhuma religião, pois me sentia limitado, preso em crenças que por vezes eu não concordava, nenhuma delas abrangia todos os ensinamentos que eu já havia estudado e tido experiências, até que enfim achei uma linha universalista que me identifiquei bastante, fiquei quatro anos vinculado à ela, no qual me ensinou muito sobre como enxergar as semelhanças que todas essas religiões, crenças e práticas tinham. Após estes quatro anos, senti que meu tempo naquele local havia chegado ao fim.

Até o momento que eu cansei de buscar, me vi em uma noite escura da alma, onde parecia que tudo o que eu acreditava ruiu, alguns percalços no caminho, quedas e mais quedas e me vi sem chão, sem fé e totalmente desacreditado de tudo, parecia um renascimento para que algo novo pudesse existir, foi dolorido, mas foi o maior aprendizado que tive na vida e nesse momento percebi que o caminho ia ser mais solitário a partir de então.

Pedia sempre em preces e orações para que meus mentores espirituais me guiassem para um caminho onde eu pudesse ter um contato íntimo com a fonte. Até que um dia simplesmente por parar de buscar tudo veio à tona. Parei, sentei-me em posição meditativa e silenciei a mente e percebi que esse tempo todo buscando não tinha sido em vão, todos os aprendizados me foram úteis para eu perceber que a fonte universal habitava em mim, então para que essa busca sem fim se todas respostas podiam ser obtidas aqui dentro do coração.

Por muito tempo nos foi ensinado a buscar muito fora, orar, pedir, agradecer, tudo isso é válido, mas esquecemos o essencial que é só relembrar que somos mestres encarnados, co-criadores da nossa realidade, somos budas, cristos, só nos esquecemos desse estado búdico ou crístico. E quando relembramos não há mais culpa, pecado, intermediadores, estes nos servem como exemplo a ser seguido no caminho da ascensão espiritual.

E então percebi que ao invés de adquirir mais conhecimento eu deveria me esvaziar desse conhecimento, para que o meu verdadeiro ser tivesse espaço para habitar o meu ser encarnado. Para que a energia universal, a fonte, o criador pudesse enfim tomar conta de tomos os meus corpos tanto sutis como densos.

A partir do momento que só somos e vivemos o aqui e agora, sem nos preocupar com o futuro ou o passado, com todos os problemas ao nosso redor, entendemos que o agora é eterno e que centrados nessa eternidade o mundo pode cair ao nosso redor que estaremos plenos na paz e sabedoria búdica ou crística  que os grandes avatares vieram para exemplificar, isso nem sempre é fácil, manter esse equilíbrio no mundo de provas e expiações, é um constante aprendizado que temos a eternidade para alcançar.

Cada um encontra o seu religare de maneiras distintas, muitos nem precisam disso, pois entendem que a ligação com a fonte nunca foi desfeita, só é esquecida em meio a essa matrix de controle em que vivemos. Outros nem tem contato com religiões ou temas espiritualistas e conseguem fazer o caminho de retorno à fonte – vivendo um dia de cada vez, entendendo a impermanência da vida e buscando um equilíbrio interior e ser melhor a cada dia. Paz e bem a todos e que a cada dia possamos viver esse eterno AQUI E AGORA.

Paulo Coutinho -07-10-2017

 

Ser só ser se iluminar

Relaxar a mente meditar

Na luz da divindade una

O coração do lótus brilhará

Desdobrar-se em ondas, flutuar

Ir encontrar Sidarta

Face a face com a paz (Ir encontrar Sidarta)

Seus caminhos de repente se iluminarão

E a sua frente só uma direção se abrirá

Sidarta

Finalmente compreender que o caminho

a percorrer é pra dentro do ser (Sidarta)

Que toda vida brilhará

Quando a alma mergulhar na luz de Brahma

Sidarta Gautama

Anúncios